top of page
  • felipetazzo

O novo. de novo.

Oi, meu nome é Felipe e aqui estou eu no meu terceiro ou quarto blog. Se você chegou até aqui é não é da minha família ou amigo(a), muito bem vindo (a). Se você é família ou amigo, bem, o que eu posso dizer? dessa vez é sério… ? dessa vez eu prometo que vou conseguir… ?

Eu sou tiozão. Bem tiozão. 41 anos. Eu vi essa caralha tudo aqui nascer. Quando eu cheguei era tudo mato e a gente tinha que carpir um lote para conseguir plantar HTML e ficar brigando com as bordas do nosso site. E por algum motivo tinha que ter borda em tudo. E página de bem vindo e gif animado. Não sei porque tinha que ter gif animado, mas tinha. E com borda e gif animado ficava feio que dói. Mais feio que bater na mãe. E eu tinha um blog naquela época. E meio que me casei por causa dele. E por causa do meu primeiro livro que eu divulguei pelo blog. E isso é história para outro dia.

Se você quiser conhecer a história desse dia, comece olhando no spacejam.com, o site feito para divulgar o filme mais maravilhoso da história da humanidade, Space Jam, no qual o grande astro de basquete (da época) Michael Jordan joga basquete com o Pernalonga.

Sim, os anos 90 foram bizarros. Mas ao mesmo tempo foram maravilhosos. Uma época de descobertas para adolescentes cheios de hormônios e muito tempo livre. Tem nada melhor na vida do que ter algo o que fazer da vida quando você tem muito hormônio e muito tempo livre. Quando você tem muito hormônio e muito tempo livre, as únicas coisas que você consegue fazer é aprontar e bater punheta. E bater punheta não consome tanto assim do seu tempo se você prestar bem atenção.

Mas, olha, é melhor do que não ter hormônios e nem ter muito tempo livre. Se você não tem muito tempo livre, foda-se, nada importa. Continue aí trabalhando. Se você não tem mais muitos hormônios, porque já dobrou o cabo da boa esperança e tem algum tempo livre, como eu, você resgata os velhos hábitos de quando tinha tempo entre uma punheta e outra. Como eu. E eu escrevia. Caralhos, como eu escrevia. Dava para até achar que dali sairia alguma coisa. Mas não, eu fui gastar meus hormônios como todo mundo: trabalhando.

Quando eu era adolescente, cabeludo, punheteiro e andava de sobretudo preto, eu queria ser escritor. E olha como a vida é: já tenho 3 livros publicados.

Agora eu sou tiozão, não bato punheta, tenho tempo livre e não tenho mais muitos hormônios. Só minto um pouco.

O que eu mais quero é que leiam as minhas mentiras.

Então, bora lá começar a divulgação: tem que ter twitter, instagram e, por que não, blog. Todas as pessoas cool da minha época tinham (hoje eles não tem mais, mas é porque eles não são mais cool; eu sou.)

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O dono da verdade

Sim, estamos falando de mim. Escrever é o ato de dizer: "eu PRECISO que você saiba disso aqui, ó" e isso em muitas medidas uma gigantes arrogância, porque esse é o momento de imbuir-se da máxima autor

bottom of page